domingo, 22 de dezembro de 2013

FLASHES BIZARROS EM MACROFOTOGRAFIA - HUMOR.

Sabemos que na macrofotografia a luz é uma das coisas mais importantes, assim o flash se tornou uma obrigação em macro. Acontece que nem todo mundo tem condição (ou não quer) de comprar um flash macro, um Canon MT-24ex por exemplo, custa em torno de R$ 2.500,00 pesando bastante no orçamento e ainda assim não é a solução definitiva.

Então muita gente investe e inventa rebatedores caseiros que vez ou outra funciona e algumas vezes até melhor que os flashes macro, mas olhando na internet buscando outros set-ups de luzes me deparei com as coisa mais bizarras possíveis em rebatedores, cada coisa estranha e pouco funcional que me fez dar boas rizadas.

Quando for montar um rebatedor, devemos lembrar que peso e mobilidade são coisas importantes, pois estaremos em pé na maioria do tempo e constantemente se movendo, abaixando e levantando, então ter um equipamento leve e com mobilidade é bastante importante. Vendo os exemplos abaixo vi coisas que fogem totalmente destes quesitos, confesso que gostaria de ver o resultado destes Frankensteins.

Conheço gente que investe nesse tipo de equipamento e tem resultados fantásticos, a exemplo do Robson Bucci, um dos grandes fotógrafos de macro fotografia do Brasil, veja a galeria dele e babem: http://www.flickr.com/photos/bucci10/sets/72157608034570998/

Porém nem todos querem gastar e resolvem fazer seus rebatedores com o que tem na garagem ai sai estes resultados:

FLASHES E DIFUSORES BIZARROS:


Esse parece Jar Jar Binks de Star Wars.

 Quero ver ai o Tiozão passar 3 horas segurando isso.

 Esse é fantástico, essa luz Led ai deve ser super potente #EPICFAIL

Bom equipamento e o resultado deve ser proveitoso, mas quero ver ele levar isso para o mato e fotografar insetos.

MagGiver, um flash macro com uma toalha e um elástico.

 O papel metálico por fora é para melhorar o aspecto...

 Flash macro com mira!!!!!

 Meu deus... é para iluminar ou esconder???

 Tá ai uma coisa prática, o flash maior que a câmera+lente.

 Parece mais um aspirador de pó.

 Além de iluminar, este cega o inseto o deixando parado.

 O resultado desse eu vi e ficou legal, mas parece uma vela de barco....

 Esse não entendi nada.

" Querida, economizei R$ 2.499,00, fiz um flash macro com R$ 1,00" 

terça-feira, 29 de outubro de 2013

DICAS DE APROXIMAÇÃO DE INSETOS EM MACROFOTOGRAFIA.

Um dos questionamentos que sempre recebo é como achar e como se aproximar dos insetos que fotografo, confesso que não é fácil e é um grande exercício de paciência mas isso faz parte do mundo da macro fotografia. Assim segue algumas dicas que me ajudam: 
 
  • Chegue cedo: Os insetos estão mais calmos e letárgicos no início da manhã o que facilita a aproximação. Quando o sol esquentar tente buscar os locais de matas ou com mais sombras.
  • Quando ver um inseto grave em qual tipo de planta ele está, eles têm suas preferências de locais de pouso e alimentação, assim ao ver outra planta da mesma espécie existe uma chance maior de achar insetos semelhantes nela.

  • Tenha muita calma ao andar e observar e fique de olhos bem abertos para coisas coloridas e que se mexem, esses são as pistas para achar insetos.
  • Olhe embaixo das folhas, a maioria dos insetos preferem ficar por baixo da folhagem, assim sempre fique levantando as plantas com cuidado observando, pode ter surpresas bem interessantes.
  • Plantas com flores sempre atraem insetos, principalmente os que voam como abelhas, borboletas, vespas e besouros, como também seus predadores a exemplo de aranhas e esperanças, assim passe mais tempo neste locais mesmo sem ver nenhum inseto, eles podem aparecer de repente.
  • Ao ver um inseto tenha muito cuidado ao se aproximar, ande devagar, não faça movimentos bruscos, tudo deve ser muito lento pois um movimento mais rápido espanta o bicho.
  • Um dica importante é ao ver o inseto levantar a máquina bem devagar, os movimentos verticais bruscos assustam muito os insetos. O que faço é ao ver um inseto já ir com a máquina na altura do rosto, se eu deixar para fazer isso próximo do inseto a chance é grande dele voar.
  • Cuidado com sua sombra, ela assusta tanto quanto você, ao se aproximar se estiver contra o sol e sua sombra passar perto ou sobre o inseto ele deverá fugir, assim tente controlar isso.
  • Cuidados com os galhos, muitas vezes ao se posicionar para fotografar pisamos em um galho que faz a planta que o inseto está balançar o assustando portanto fique sempre atento a isso.
  • Insetos como moscas e libélulas têm locais de preferência de pouso, ao se aproximar ele fugir espere um pouco que eles podem voltar para o mesmo lugar ou estar bem perto de onde estava.
  • Contenha a emoção, muitas vezes vemos um inseto lindo e quando nos posicionamos ele vai embora, é frustrante mas não deixe isso de chatear, faz parte da macro fotografia.
  • Leve sempre um tesoura para limpar os galhos que ficam atrapalhando a cena e evitar se movimentar muito ao redor para se posicionar melhor, mas faça isso com muita calma e cuidado.
Lembre-se sempre, o sucesso vem com trabalho e dedicação.



sexta-feira, 30 de agosto de 2013

MACROFOTOGRAFIA - FUNDOS ESCUROS - VALE A PENA?


Uma das maiores questões que venho tendo com a macrofotografia nos últimos meses é quanto a fotos com o fundo preto, pois muitos fotógrafos questionam negativamente esse tipo argumentando que por se tratar de fotos de natureza este fundo escuro perde a naturalidade, sendo inclusive apontado em muitas literaturas como uma falha técnica. Bem, como não sou biólogo nem naturalista, e sim fotógrafo, me preocupo muito mais com a plasticidade e resultado estético da foto do que o contexto didático/natural, sei que as fotos com o fundo claro mostrando o ambiente ou com um lindo verde de fundo ficam mais próximo à realidade, mas acho que isso pode e deve ser mudado muitas vezes.

Alguns insetos de cores vivas em fundo escuro ficam valorizados e destacados tornando a foto mais bonita e menos poluída, o que se tratando de objetos ricos em detalhes é uma vantagem.







O fundo preto é decorrente de iluminação insuficiente, quando se fotografa sem boas condições de luz natural e o flash é a única luz existente ou a predominante. Os flashes macro Canon MT24 EX, MR14 e até mesmo os flashes normais com rebatedores não conseguem na maioria das vezes iluminar o fundo, assim se a cena está com pouca luz o fundo vai ficar escuro.sem falar que o uso de velocidades altas e aberturas pequenas exigem ainda mais luz para ficarem claros.

O uso de ISO mais altos é uma tendencia agora que as máquinas estão conseguindo bons resultados, confesso que sou relutante a isso em minha Canon 7D, uso o ISO 100 na grade maioria das vezes, mas tenho tido bons resultados com ISO 400.
Um artifício que uso muito quando quero tirar o fundo escuto é segurar uma folha verde ou seca atrás do inseto, isso na maioria das vezes funciona MUITO bem, mas nem sempre é possível. Vejam algumas fotos que usei este modo:






Tirem suas conclusões nestas fotos com os dois fundos:








Comentem o que acham.

domingo, 14 de julho de 2013

QUEBRA DE PARADIGMAS EM MACROFOTOGRAFIA E SUAS DIFICULDADES.

A maioria das dicas existentes de macrofotografia no Brasil vêm de técnicas antigas retiradas de livros europeus das décadas passadas, quando se usavam equipamentos com menos recursos e clima mais frio que no Brasil, o que de certa forma tem grande diferença na prática em relação à nossa realidade fotográfica, por sorte existem novos formadores de conteúdo, a exemplo do Tácio Philip (www.macrofotografia.com.br), que melhoram estas informações inclusive com publicação de livros e revistas sobre esse tema, assim relato aqui algumas dessas técnicas que pelo menos comigo não funcionam ou não é muito produtiva.

SEMPRE USAR TRIPÉ:
Não concordo, o uso de tripé mais atrapalha do que ajuda, conforme as seguintes desvantagens:
  • Demora muito para se preparar, alinhar, ajustar e clicar, com isso a maioria dos insetos vão embora, só conseguimos fotografar com o tripé os poucos insetos que ficam parados e como o nosso clima é bem quente isso aqui é muito difícil de acontecer pois os insetos logo ficam bem ativos. Talvez nas primeiras horas da manhã consigamos alguma coisa, mas por muito pouco tempo, pelo menos aqui na Bahia 7:00am o sol já está muito quente e os insetos à 220v;
  • É um trambolho, no ajuste das pernas mexe em tudo que é arbusto e folhas, espantando e assustando os insetos;
  • Peso demais, carregar um bom tripé pela mata por algumas horas faz se arrepender de tê-lo levado;
  • Com o uso do flash você passa usar velocidades maiores o que na maioria das vezes segura bem as “tremidas”, sem falar que as lentes mais modernas tem IS (estabilizador de imagens) que ajuda muito;
  • Ângulos críticos, muitas vezes o inseto está em alturas muito pequenas ou dentro de arbustos que o uso do tripé se torna impraticável, mesmo os mais caros e com recursos.
É certo que quando é possível, o uso do tripé é fantástico, permite usar velocidades menores e com isso a fotometria fica bem melhor, conseguindo fundos mais claros e composições mais harmônicas, assim deixo sempre um tripé no carro e caso seja possível ir busca-lo vou correndo e torcendo para o inseto não ir embora rsrsr.

FOCO SEMPRE NO MANUAL:
Esse é outro ponto controverso, usando as lentes Canon 100mm ou a 180mm (o mesmo acontece com a Nikon ou Sigma 105mm) sempre uso o foco automático, estas lentes permitem mesmo no automático ajustar manualmente o foco, assim faço o pré-foco pelo anel e com o movimento da cabeça, quando o foco está próximo aonde desejo aperto o botão de disparo da câmera pela metade e o automático faz o ajuste final, fico então aguardando o sinal sonoro e piscando em vermelho no visor para terminar o disparo no botão, isso acontece em 90% de minhas fotos e o resultado é bastante proveitoso, lembro que tudo isso ocorre em 1 ou 2 segundos, é tudo muito rápido e prático com o tempo.

Claro que existem lentes sem foco como as MPE-65mm, invertidas e com foco lento, assim neste casos é necessário a prática do foco com o movimento da cabeça e disparo rápido, que é uma das coisas mais complicadas em macrofotografia.

FIQUE PARADO E ESPERE OS INSETOS VIREM:
Não faço isso mesmo, acho pouco produtivo e monótono, ando sempre muito devagar e olhando com calma todos os lugares, claro que quando me deparo com arbustos com flores acabo passando um tempo parado mas normalmente cubro boas áreas a procura dos bichinhos.

Quando a idéia é fotografar insetos voadores, achar uma flor de bromélia ou um arbusto florido é muito bom, funciona bem com borboletas e abelhas mas neste caso conte com a sorte.

EQUIPAMENTO MACRO PODE SER BARATO:
Mentira, infelizmente em macrofotografia o que é bom é caro, se você busca qualidade de iluminação e nitidez nas fotos se prepare para gastar, as lentes são muito caras e os flashes macro seguem o mesmo conceito, um kit com uma lente macro+ring flash custa fácil em torno dos US 2.500,00.
O que pode ser adaptado como lentes invertidas, filtros e rebatedores acabam tendo bons resultados e eventualmente resultados melhores, mas sob a pena de ser bastante trabalhoso e com índices de aproveitamento muito baixo, normalmente com esse equipamento improvisado 1 a cada 10 fotos ficam aceitáveis tecnicamente (nitidez, foco, iluminação, profundidade de campo, etc) enquanto com o equipamento específico o aproveitamento técnico fica em 1 para 3, o que é muito bom.

Conselho que dou, economize seu dinheiro e gaste com lentes macro que vale a pena rsrsrrs.

FOTOS MACRO SÃO VALORIZADAS.
Quem dera..., muita pouca gente dá valor a fotos macro, se você espera ganhar dinheiro com elas, esqueça, só dá valor a fotos desse tipo de foto são os biólogos, outros fotógrafos de macro e sua mãe. Ninguém coloca na parede da sala uma foto de uma aranha predando uma mosca.

FOTÓGRAFOS DE MACROFOTOGRAFIA SÃO RESPEITADOS:
Muito pouco, primeiro que seus vizinhos e amigos te acharão maluco, não entendem você ficar olhando para arbustos procurando coisas invisíveis ou acordar de madrugada para fotografar moscas e formigas ao invés de modelos ou por-do-sol. Suas fotos não serão classificadas em concurso de temas abertos e raramente será chamado para exposições coletivas, em compensação em concursos com temas de natureza serão bem valorizados e fortes concorrentes. Felizmente em comunidades sobre o tema sempre encontrará pessoas legais e os estudantes e professores de biologia ficam loucos quando vêem suas fotos.

Não quero aqui desestimular os pretensos fotógrafos, mas é importante saber das dificuldades e não se desmotivar com elas, pois fatalmente vão acontecer e para ter sucesso neste tema tem de passar por cima destas coisas.

Sei que pode ser polêmico o que disse, mas realmente é o que acontece.

Para não perder o costume segue algumas fotos que fiz nos últimos dias:




domingo, 16 de junho de 2013

Macrofotografia de Lagartas e outros Insetos - Reserva Olho de Fogo Rendado.

 Estive mais uma vez na Reserva Olho de Fogo rendado, do Sr. Eliomar e da Sra. Marlene, como sempre fui muito bem recebido, fui sozinho e lá encontrei o funcionário da reserva que me deu uma grande força.

Tem chovido bastante lá, está muito verde e com muita diversidade de insetos, pássaros e aves, infelizmente a chuva me atrapalhou, estava com a idéia de ficar lá até o meio dia, mas as 9:00 tive de ir por conta da chuva que insistia em não passar. Fiquei com medo da estrada de terra, apesar de meu Duster ter aguentado as pontas nos maiores lamaçais e ladeiras escorregadias.

Neste dia o que me chamou a atenção foi o grande número de lagartas, muitas e dos mais diversos tipos, inclusive a Helicoverpa que tem incomodado o oeste da Bahia, causando desastres nas plantações de milho e algodão. Mas vi também muitas borboletas, vou ver se volto lá esses dias com sol para fazer umas fotos delas.


LAGARTAS:

Versão fundo preto.

Nesta foto coloquei um folha por traz para tirar o fundo preto.


Conhecida como Lagarta-de-fogo ou taturana, são lagartas com veneno que machuca se encostar nelas.

Essa lagarta acima é muito interessante, ela mimetiza uma parte morta da planta que fica semelhante à uma folha velha e fica imóvel por muito tempo.

CARACÓIS:

Vi muitos lá, provavelmente por causa da chuva:




OUTROS INSETOS:




 








Macrofotografia, macro,  macro photography