quinta-feira, 9 de junho de 2011

MEU EQUIPAMENTO II

Depois de muitos testes, entendi que equipamento é fundamental em macros, usar adaptações dificultam muito e prejudicam o resultado. Não tive paciência de fotografar com lente invertida na DSLR, obtendo somente resultados interessantes em 1 a cada 10 fotos, ou seja apenas 10%, hoje com meu equipamento adequado este índice está entre 40-50%, o que é muito importante pois muitas vezes temos pouquíssimo tempo de fotografar o inseto e ter um resultado maior pode salvar o momento.
Falando ainda em lente invertida, acho que ela funciona bem com câmeras compactas com sensores pequenos, mas em DSLRS a coisa complica, assim aconselho quem quiser fazer macros realmente boas tem de juntar uma graninha e comprar o equipamento certo.
Hoje meu equipamento para fotos macro é o seguinte:

- Canon 50D, a máquina é o menos importante,no flickr  tem fotos espetaculares feitas com xti antigas. Usar uma câmera fullframe com flash não garante uma foto melhor, isso só aconteceria em fotos com luz natural, por causa do melhor desempenho em ISO maiores com menor ruído. Lembrem-se da máxima: “Lente boa em câmera ruim faz melhores fotos que lente ruim em câmera boa”.



 - Lente Canon 100mm F2.8, uma lente versátil e com um custo benefício muito bom. Ela permite uma boa aproximação para quadro cheio, é bem clara e não varia de tamanho na hora do foco o que ajuda muito. Lentes de 50mm ou 60mm são boas para flores, mas para insetos complica um pouco. Mesmo com a 100mm, para conseguir closes é importante usar os Tubos de extensão.

- Tubos de extensão, importante se seu desejo for closes fechados com a maior qualidade, conseguindo com ele uma ampliação da imagem por causa da maior aproximação conseguida. Eles vêem em conjunto de três e com vários tamanhos, onde você pode usar de acordo com sua necessidade, normalmente uso apenas o de 20mm junto com a lente 100mm. Lembre de ao comprar de verificar se o modelo tem as ligações eletrônicas para funcionamento do foco automático. Como não tem lente, garante a qualidade da imagem, porém ele faz perder 2 pontos de luz no sensor, que é tranqüilo de ser compensado.
- Canon Ringflash MR-14, luz é tudo em macrofotografia, assim este flash quebra um galho, pois permite usar aberturas pequenas como f16 ou até f22, garantindo assim uma maior profundidade de campo, porém estas aberturas causam aquele fundo preto que algumas pessoas não gostam, eu particularmente gosto. Como ele é ETTL, a fotometria normalmente é bem feita, mas costumo usar menos 1 ponto por causa do brilho de alguns insetos. O ponto negativo está na luz muito chapada destoando um pouco da luz natural, mas consigo resolver isso usando mais um flash, ou na mão ou em um tripé, neste caso uso o 580EXII comunicando com o MR-14 por wireless.


- Flash 580EX II, uso como segundo flash para duas coisas, como segunda luz lateral para a foto ganhar um ar de luz natural ou para iluminar o fundo evitando ele ficar escuro. É mais confortável usá-lo em um tripé lateral, podendo também usá-lo na mão, mas ai fica o problema de focar com uma mão, depois de certa prática consegue. O 580 também pode ser usado em cima da máquina com um rebatedor, que dá uma luz muito bonita imitando o sol, mas ai a fotometria deve ser bem medida.



É isso, não comenteis algumas coisas como tripés, rebatedores, filtros e disparadores, mas em novo post eu falo.

Um comentário:

  1. Muito bom, de fato dificilmente com adaptações conseguirá chegar a distância de trabalho e qualidade de imagem em aumento que se consegue com lentes legitimas. Concordo também que o corpo da camera (nesse contexto) não é tão importante quanto a lente.

    ResponderExcluir